Há diferenças entre os conceitos de efeitos global, local e localizado quando avaliamos a estabilidade estrutural da edificação!

Perceba a seguir que a estrutura se deforma como um todo após a aplicação de cargas (na maior parte horizontais como o vento), o deslocamento dos nós da estrutura gera esforços de 2ª ordem que são denominados efeitos globais

Nesta próxima figura temos efeitos locais de 2ª ordem, visto que a aplicação de carga gera descontinuidade entre lances de pilares.

Já nesta última figura temos os efeitos localizados que são típicos de pilares parede. Nesta ocasião, devido às grandes dimensões do pilar, a não retilineidade, depois da aplicação de cargas, pode ser mais significativa em alguma região do pilar em comparação ao eixo dele.

Quando há efeitos de 2ª ordem devemos levar em conta os acréscimos de esforços na estrutura que podem levar à fissuração, por exemplo, e esta circunstância pode gerar a não linearidade física estrutural, ou seja, o estado fissurado pode prejudicar a relação linear entre ação e deformação.

Além disto, a deformação lateral das barras produzem uma não linearidade geométrica, como ilustra a figura (b) abaixo.

Quando os cálculos acusarem a estrutura como de nós móveis devemos considerar os efeitos globais de 2ª ordem, mas quando configurar como estrutura de nós fixos podemos desprezar.

ESCRITO POR:

Estabilidade: Efeitos Global, Local e Localizado