A impermeabilização da viga baldrame é essencial para evitar o surgimento de patologias que se evidenciam nas paredes como mofo, bolor, bolhas e descascamento da pintura, descolamento de revestimento e até mesmo a desagregação do reboco. O objetivo dessa impermeabilização é criar uma barreira que bloqueie a ascensão (por capilaridade) da umidade presente no solo para as paredes da edificação.

Descascamento de pitura causado pela umidade.

Bolhas na pintura causadas pela umidade. 

Mofo causado pela umidade. 

O tipo de impermeabilização compatível pode ser rígido, na qual comporta pequenas deformações estruturais, ou flexível que suporta maiores deformações apresentado melhor desempenho. A impermeabilização rígida compreende o sistema cimentício, enquanto que a flexível adéqua-se aos sistemas asfálticos e membranas poliméricas.

O grande cuidado, após a definição do sistema, é cuidar das fragilidades que cada um deles apresentam, por exemplo:

Sistemas cimentícios: traço e espessura

Sistemas de mantas asfálticas: sobreposição de mantas

Sistemas de membranas poliméricas: espessura e contato com agentes químicos

O eng Walid Yazigi, em seu livro “A técnica de edificar”, faz comentários conservadores sobre a técnica adequada. Segundo o autor é recomendado seguir os passos a seguir:

  1. Desforma
  2. Lavagem para retirar sujeiras da superfície
  3. Chapisco
  4. Revestir com argamassa dosada com aditivo hidrófugo
  5. Aplicar emulsão asfáltica
  6. Assentar até a 3ª fiada de tijolos com argamassa impermeabilizante

Execução de pintura asfáltica quartzolit

Os erros mais comuns são a escolha de produto inadequado, falta de preparação da superfície, utilizar quantidades menores do que a recomendada pelo fabricante, não respeitar o prazo de secagem, deixar falhas nas emendas e causar algum tipo de descontinuidade no sistema de impermeabilização (seja por falhas ou quebras para passagem de tubos).  É imprescindível seguir as orientações tantos das NBR’s quanto dos fabricantes.

Outro exemplo que pode ser citado como falha é o erro no momento da análise do projeto. É preciso compreender o nível final da terra para que não haja caminho de “fuga” para a umidade ascender.

Fonte: Manual CBIC da Norma de Desempenho

Segundo Wilson Neves, gestor executivo do IBI (Instituto Brasileiro de Impermeabilização) o custo do serviço de impermeabilização (quando este é planejado em projeto para ocorrer durante a construção) é de 2% a 2,5% do custo total da obra. Se esse serviço for realizado após a conclusão da obra, esse custo sobe para 13% a 14% do custo total da obra. As vigas baldrames são os primeiros elementos a serem impermeabilizados em uma edificação e sua correta execução mediante um bom projeto é sinônimo de tranquilidade e vida longa a sua obra.

ESCRITO POR:

Impermeabilização de vigas baldrames